O Ministério Público confirmou esta quarta-feira, quase um mês depois de o caso ter rebentado, que a Galp e uma agência de viagens foram alvo de buscas no âmbito da investigação às deslocações ao Europeu de Futebol de França pagas pela gasolineira a três membros do Governo.

Numa resposta à Lusa, a Procuradoria-Geral da República adianta ainda que no decurso das buscas, realizadas na primeira quinzena de agosto, foi apreendida documentação.

O inquérito “não tem arguidos constituídos” e está em segredo de justiça.

A 4 de agosto, à Lusa, o Ministério Público avançou estar a "recolher elementos" sobre a viagem do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade, ao Europeu de futebol de França, a convite da Galp, para apurar se havia "procedimentos a desencadear no âmbito das respetivas competências".

O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais disse que pretendia reembolsar a Galp da despesa, embora tenha encarado com normalidade o facto de ter aceitado o convite da empresa. A própria Galp disse ser comum fazer convites do género.