O incremento de amortizações das aquisições e os resultados das cadeias de distribuição em países emergentes são as causas próximas apontadas para menores lucros no primeiro semestre de 2016 face a aigual período do ano transato.

Em comunicado, o grupo de supermercados informou ter registado vendas brutas de 5.038 milhões de euros, um crescimento de 12% em moeda local relativamente ao mesmo período do ano passado.

Este aumento deve-se à melhoria contínua da oferta comercial nas dez insígnias que a companhia detém nos países onde opera e um investimento continuado nos preços, refere o comunicado do grupo DIA.

A cadeia de distribuição espanhola detém 7.762 supermercados, dos quais 72% localizados em Portugal e Espanha.

No mercado ibérico, as vendas brutas sob insígnia aumentaram 3,4% para os 3.342 milhões de euros, impulsionadas pelo crescimento em Espanha de 3,7% para os 2.940 milhões de euros.

Na Argentina, Brasil e China, a subida é de 26,7% em moeda local para os 1.696 milhões de euros.

No segundo trimestre de 2016, registámos uma aceleração das vendas em todos os mercados, com vendas comparáveis positivas em todos os países tanto no segundo trimestre, como na primeira metade do ano, apesar das difíceis condições existentes para o negócio", refere em comunicado o grupo DIA.

Nos primeiros seis meses, o grupo investiu 180 milhões de euros, o que representa uma descida de 2,3% em comparação com o mesmo período do ano anterior. Já a dívida líquida do grupo em junho era de 1.124 milhões de euros, menos 0,8% do que no final de 2015.