«Nós estimamos que o crescimento para 2015 possa ser o dobro daquele que foi em 2014», afirmou o diretor-geral, que notou também a crescente preferência por investimentos imobiliários em vez de financeiros.





«Dos milhares e milhares de reformados da União Europeia a investir na aquisição de imóveis», referiu o responsável da Era, «50% estão a preferir o Algarve, enquanto 25% se fixam em Lisboa e no Estoril. Os restantes 25% estão um pouco por todo o lado, incluindo Porto, Coimbra e Oeste».









Segundo o responsável, as grandes cidades e o Algarve são «zonas que pelo aumento da procura, esgotaram o stock existente no mercado».

«Há zonas em Portugal, no Algarve, e em Lisboa, onde se começa a sentir a falta de apartamentos novos e, devido a essa procura, muitos investidores e construtores estão a voltar a olhar para o mercado e a investir», concluiu.