A indústria portuguesa de calçado criou mais de 340 marcas ao longo da última década. Oito delas surgiram já no primeiro semestre deste ano,refletindo a estratégia setorial de valorização das coleções, dos produtos e do made in Portugal.

A criação de novas marcas é a tradução prática de uma prioridade do setor definida no FOOTure2020 – Plano Estratégico do Cluster de Calçado. Uma indústria jovem, moderna, voltada para o futuro, que alia a tradição às tecnologias de ponta e o ‘saber-fazer ao melhor ‘design’ de sempre”.

Explicações da Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado, Componentes, Artigos de Pele e Seus Sucedâneos (APICCAPS) com base nos números do Gabinete de Apoio à Promoção da Propriedade Industrial (GAPI) do Centro Tecnológico do Calçado em Portugal.

"Apesar do ganho de imagem conseguido pelo calçado português, a realidade do cluster nesta matéria é ainda muito variada”, fez notar ainda. “Importa mobilizar as competências que têm sido utilizadas para construir uma imagem coletiva em favor das empresas”.

As empresas devem ser auxiliadas no desenvolvimento de campanhas de imagem e planos de comunicação personalizados, na contratação de agências de comunicação, na participação em ‘showrooms’ no exterior, entre outros. Devem igualmente ser auxiliadas na melhoria da sua imagem interna que é determinante na relação com os compradores que as visitam. Em alguns casos, a criação de marcas próprias será o culminar destas ações"

A maior presença portuguesa de sempre na MICAM

A APICCAPS diz que a indústria portuguesa de calçado terá a sua “maior presença de sempre” na MICAM, levando 98 empresas responsáveis por 8.000 empregos e 500 milhões de euros de exportações à feira MICAM.

A promoção comercial externa é a primeira das prioridades para a indústria portuguesa de calçado, que coloca no exterior mais de 95% da sua produção. A presença na maior e mais prestigiada feira de calçado do mundo será, uma vez mais, da maior importância”

“Portugal voltará a ser a segunda maior delegação estrangeira na feira, apenas superada pela de Espanha”, destacou.

A  presença portuguesa na feira italiana contará, no sábado, com a visita do primeiro-ministro, António Costa, acompanhado do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, e do secretário de Estado da Internacionalização, Jorge Costa Oliveira.

Portugal exportou no primeiro semestre deste ano um total de 40 milhões de pares de calçado, no valor de 902 milhões de euros, mais 1,8% do que no período homólogo.

A manter-se este ritmo até final do ano, a associação antecipa que “2016 será o sétimo ano de crescimento do calçado português nos mercados externos”.

Dois dos criadores

No âmbito desta estratégia, o empresário e criador de sapatos Luís Onofre apresenta na próxima edição da maior e mais prestigiada feira de calçado do mundo – a MICAM, que decorre em Milão, Itália, de sábado a terça-feira – uma linha exclusiva de calçado masculino que, adianta, terá um design “desportivo e clássico, muito sóbrio e básico, com cores neutras”.

“Não será escandaloso, contrariamente à coleção de mulher”, disse à APICCAPS. Apostar no design e na qualidade dos materiais, a nova linha terá a peculiaridade de “tornar os homens mais altos”, já que os sapatos “serão ligeiramente compensados em altura, o que permitirá subtilmente aos homens ficarem três ou quatro centímetros mais altos”. Esta nova coleção chegará às lojas em 2017.

A próxima edição da MICAM ficará também marcada pela estreia da estilista portuguesa Fátima Lopes em mostras internacionais de calçado. Após ter já lançado cinco coleções de sapatos no âmbito da parceria estabelecida com a empresa industrial Joia da Europa, a estilista aposta agora na internacionalização da marca.

Segundo confessou à APICCAPS, trata-se da realização de um “sonho com mais de 20 anos”, já que o calçado “sempre foi uma paixão”.

Fátima Lopes irá levar a Milão a sua próxima coleção primavera/verão 2017, onde o forte serão os modelos rasos e as plataformas: “A Fátima Lopes Calçados divide-se em duas grandes linhas: Fátima Lopes, mais sofisticada, e FL, uma linha dirigida a um público mais jovem e descontraído, onde o investimento é no conforto”, referiu a estilista.