O Parlamento aprovou esta quinta-feira, com os votos favoráveis de toda a esquerda, o projeto de lei do Bloco de Esquerda que pede a mudança do regime arrendamento apoiado com vista a uma "maior justiça social".

O texto foi viabilizado com os votos contra do PSD e do CDS-PP, e no final foram vários os deputados que bateram palmas com a aprovação da medida.

O Bloco espera que a medida tenha impacto para cerca de cem mil famílias portuguesas.

A AR deu também luz verde a um conjunto de projetos de resolução - de PS, BE e PCP - pedindo o "reforço e consolidação do Hospital de Santa Luzia, em Elvas".

Também viabilizado foi um projeto de resolução do Bloco pedindo uma avaliação do Processo Especial de Revitalização (PER) de empresas e particulares.

Aprovado prolongamento das linhas do Metro do Porto 

A Assembleia da República aprovou também, e aqui por unanimidade, uma proposta do PCP que recomenda ao Governo o prolongamento das linhas do Metro do Porto em Gaia, Gondomar e Trofa.

“Foi aprovado por unanimidade”, afirmou à Lusa, no final da votação do Projeto de Resolução n.º 167, o deputado do PCP Jorge Machado, segundo o qual serão ainda apresentadas declarações de voto pelo PS e CDS.

A recomendação defende o início da construção da ligação do ISMAI à Trofa, no prolongamento da Linha C, até ao final de 2017 e “que sejam tomadas as medidas necessárias para a planificação que conduza ao prolongamento da Linha D (Amarela) até Vila D’Este (Vila Nova de Gaia” e da Linha F (Laranja) até Gondomar.

No documento o PCP refere que “o alargamento da linha do Metro do Porto é uma justa aspiração de muitas populações do distrito do Porto há já vários anos” e lembra que “há 14 anos a população da Trofa ficou sem o comboio e com a promessa (nunca cumprida) de, no seu lugar, ser garantida a mobilidade com o alargamento da linha do Metro do Porto”.

De igual forma, “há mais de 10 anos que os concelhos de Gondomar e Vila Nova de Gaia esperam que o metro chegue a Gondomar e Vila D’Este”.

“Assim, o prolongamento da linha do metro até Vila D’Este e Gondomar assume-se como uma prioridade política, em conjunto com o prolongamento da linha do metro até à Trofa, considerando o que significaria para estas populações e para a economia regional”, defendem os comunistas.

Para o PCP “a atual rede de metro está incompleta e não serve as necessidades das populações enquanto não forem concretizados os devidos prolongamentos”

“Considerando o direito à mobilidade destas populações, entendendo que os prolongamentos das linhas até à Trofa, Gondomar e Vila D’Este são da mais elementar justiça para responder às necessidades da região, o PCP apresenta este Projeto de Resolução”, justificam.