«Em 2015 a nossa aposta passa pela expansão para mercados externos de alto valor acrescentado e complexidade tecnológica e por uma aposta na substituição gradual das importações de bens e serviços da área da metalurgia e metalomecânica. O nosso objetivo é o de reforçar a oferta de produtos com uma boa relação qualidade/preço e ‘time to market,’ que permitam, não só às empresas mas também ao Estado, a aquisição em Portugal, por oposição às compras ao exterior», explica o vice-presidente da AIMMAP, Rafael Campos Pereira.