A decisão que transferiu cinco linhas de obrigações do Novo Banco para o BES mau está suspensa, segundo escreve a edição online do Diário de Notícias.
 
O despacho com a decisão é de 22 de abril e a a providência cautelar foi interposta pela Merril Lynch, que alegou ter tido prejuízos avultados com a decisão tomada pelo Banco de Portugal em dezembro. Segundo escreve o DN, são quase 2 mil milhões de euros em obrigações do Novo Banco que vão ter de regressar à origem.
 
Estas obrigações foram originalmente emitidas pelo antigo Banco Espírito Santo, antes da resolução. Em dezembro, o Banco de Portugal decidiu transferir essas obrigações para o BES mau, evitando assim que fosse o Novo Banco a assumir o encargo com com os credores, o que ajudaria a criar melhores condições para vender o banco.
 
Diversos credores avançaram na justiça contra o Banco de Portugal, mas a decisão do Tribunal Administrativo de Lisboa não é ainda final já que a providência cautelar apenas suspensa a decisão.
 
O Banco de Portugal ainda não fez qualquer comentário.