As vendas da Bosch em Portugal em 2015 subiram 15%, face ao ano anterior, para 933 milhões de euros, anunciou esta terça-feira a multinacional de fornecimento de tecnologia e serviços. Este valor inclui as vendas de empresas não consolidadas e entregas internas para empresas afiliadas, refere a Bosch em comunicado.

"A Bosch Portugal teve ainda um desempenho estável no mercado interno, com vendas de 216 milhões de euros", adianta o grupo.

"Consolidámos o nosso negócio em Portugal e reforçámos a nossa presença local para o futuro através de investimentos em investigação e desenvolvimento", explica o representante do grupo em Portugal, Carlos Ribas, citado no comunicado.

"Expandimos o portefólio de produtos das nossas localizações em Portugal, o que, por si só, é mais uma prova da nossa competência e dedicação. Os bons resultados em 2015 e a previsão positiva para este ano impulsiona a nossa ambição de fazer de Portugal uma localização estratégica ainda mais importante para a Bosch", refere ainda o comunicado.

A taxa de exportação da produção da Bosch no mercado português é de mais de 90%.

"A partir de Portugal a empresa exporta os seus produtos para mais de 50 países em todo o mundo, principalmente para a Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, Turquia e Argélia. Com base nos resultados do primeiro trimestre de 2016, a Bosch prevê um desenvolvimento positivo para a sua atividade no país e espera um crescimento estável ao longo do ano", acrescenta.

No ano fiscal de 2015, o grupo investiu 35 milhões de euros no mercado português, tendo como foco os centros de investigação e desenvolvimento (I&D) em Aveiro e Braga, e a expansão das três unidades de produção da empresa no país.

A empresa emprega cerca de 400 engenheiros nos centros de I&D em Aveiro e Braga.

"A unidade da Bosch em Aveiro é o centro de competências mundial para soluções de água quente na área da termotecnologia", sendo desenvolvidas e produzidas caldeiras, bombas de calor e esquentadores.

Em meados deste ano, a Bosch vai inaugurar um segundo edifício de I&D em Aveiro, um investimento de 25 milhões de euros em 2020.

Relativamente a Braga, a empresa conta com mais de 200 engenheiros que trabalham no desenvolvimento e produção de soluções inovadoras de multimédia automóvel.

A empresa tem ainda uma parceria em Braga, com a Universidade do Minho, cujo investimento, numa primeira fase - 2012-2015 - foi de 19 milhões de euros.

"A segunda fase (entre 2015 e 2018) incluirá um reforço de 55 milhões de euros", adianta, e acrescenta que durante este ano mais de 90 engenheiros vão ser recrutados pela Bosch e 170 investigadores pela Universidade do Minho.

"No total, mais de 550 engenheiros altamente qualificados irão trabalhar neste projeto", aponta.

No ano passado, a Bosch criou 250 empregos altamente qualificados para engenheiros nas suas instalações em Portugal e planeia continuar a recrutar este ano para as unidades de I&D de Aveiro, Braga e Ovar.

"Em 2016 serão recrutados cerca de 150 engenheiros para esta área, que inclui o desenvolvimento de software e aplicações", adianta.

No final do ano passado, o grupo alemão contava com 3.600 colaboradores.

A área de soluções de mobilidade gerou mais de 55% das vendas da empresa em Portugal.