A Portugal Telecom enviou esta sexta-feira uma convocatória aos acionistas para uma assembleia geral marcada para 8 de setembro às 16h30.

Porém, pelo menos para já, não há qualquer ponto na ordem de trabalhos sobre a substituição de Henrique Granadeiro, que anunciou esta quinta-feira que renuncia a todos os cargos que exerce na PT.

A informação, enviada em comunicado à Comissão de Mercado e Valores Mobiliários, mostra que o único ponto da ordem de trabalhos é o de «deliberar sobre os termos dos acordos a celebrar entre a PT e a Oi, S.A. no âmbito da combinação dos negócios das duas empresas».

Recorde-se que o gestor iniciou funções na operadora como administrador em 2003 e em 2006 passou a presidente do conselho de administração e presidente do conselho geral da Fundação Portugal Telecom.

Entre abril de 2006 e março de 2008 acumulou as funções de presidente do conselho de administração com as de presidente executivo, numa altura em que a Sonaecom lançou uma OPA sobre a operadora de telecomunicações.

Mais tarde, depois do fim da OPA, Granadeiro fica como presidente do conselho de administração da PT. No ano passado, o gestor voltou a acumular os dois cargos até hoje.

As ações da PT às 10h57 estavam a depreciar 0,9% para os 1,36 euros.