A agência de notação financeira Standard & Poors reviu em baixa o outlook (perspetiva) do Banco Espírito Santo (BES) e do BES Investimento de «estável» para «negativ, devido às fragilidades financeiras detetadas na holding Espírito Santo International.

A informação foi divulgada por ambas as entidades em comunicados enviados à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), nos quais revelam que «os ratings de longo e curto prazo foram reafirmados em «BB-/B», abaixo do grau de investimento.

«Houve recentemente uma série de desenvolvimentos inesperados na administração e na gestão do BES, incluindo a resignação do presidente da comissão executiva [Ricardo Salgado], que são potencialmente destabilizadores», justificou a S&P numa nota de análise libertada na terça-feira.

Mais, a agência salientou que estes desenvolvimentos «coincidem» e, na sua opinião, podem estar relacionados com as notícias recentes e cada vez mais negativas sobre a fragilidade financeira e irregularidades nas contas de uma das holdings de topo do BES, a Espírito Santo International (ESI).

«Por isso, revemos em baixo o nosso outlook no BES [que detém 100% do BES Investimento] de «estável» para «negativo», frisou a S&P, acrescentando que a decisão «reflete as pressões crescentes que se estão a acumular no negócio e nas posições financeiras do BES», frisam os especialistas da S&P.

«Ao mesmo tempo, reafirmamos os ratings de longo e curto prazo de «BB-/B» para o BES e para a sua subsidiária BES Investimento», assinalam os analistas.