A Sonaecom anunciou esta sexta-feira que comprou, fora do mercado regulamentado, ações representativas do seu capital social a vários dirigentes, entre os quais Belmiro de Azevedo e António Lobo Xavier.

As operações decorreram entre 23 e 24 de janeiro e «a contrapartida da aquisição será determinada e liquidada na data de apuramento de resultados da Oferta Pública de Aquisição (OPA) Parcial e Voluntária, por igual montante ao que vier a ser atribuído aos acionistas aceitantes da oferta», refere a empresa em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O conselho de administração da Sonaecom anunciou, no final de outubro último, uma OPA parcial e voluntária de um máximo de 24,16% do seu próprio capital social.

A Sonae SGPS passará a deter, diretamente, 78.133.508 ações e, indiretamente, através da Sontel BV 194.063.119 ações da Sonaecom, «sendo-lhe imputável uma participação total de 272.196.627 ações da Sonaecom», refere a empresa em comunicado.

«Esta obrigação de comunicação decorre da circunstância de existirem dirigentes comuns à Sonae SGPS e à Sonaecom e de o controlo de ambas as sociedades abertas ser imputável à Efanor Investimentos SGPS, de que Belmiro Mendes de Azevedo, presidente do conselho de administração da Sonae SGPS é o 'ultimate beneficial owber', porquanto detém cerca de 99% do respetivo capital social e direitos de voto», conclui.

A 18 de novembro, os acionistas da Sonaecom decidiram, em assembleia geral extraordinária, reduzir o capital social da empresa para eliminar as ações próprias adquiridas na OPA parcial e voluntária anunciada um mês antes.

A OPA parcial e voluntária aconteceu na sequência da conclusão da fusão entre a Optimus e a Zon Multimédia, da qual resultou a Zon Optimus.