O Banco Santander obteve em 2013 lucros líquidos de 4.370 milhões de euros, mais 90% do que no ano anterior, segundo informou hoje o grupo espanhol à Comissão do Mercado Nacional (espanhola) de Valores Mobiliários (CNMV).

As menores necessidades de dotações e provisões em 2013, face ao ano anterior, explicam em grande parte a quase duplicação dos lucros.

A América Latina representou 47% dos lucros do grupo com destaque para o Brasil (23%), México (10%) e Chile (6%), com a Europa a representar 43% - o Reino Unido representou 17%, Espanha 7%, e a Alemanha e Polónia 6% cada e os Estados Unidos 10%.

No mercado espanhol o lucro líquido foi de 478 milhões de euros, menos 45% do que no ano anterior.

Emilio Botin, presidente do Santander, destacou numa nota do grupo que, depois de vários anos a fortalecer o equilíbrio e capital do banco, o grupo iniciou um período de «forte crescimento» dos lucros para os próximos anos.

Segundo os dados hoje revelados, o nível de crédito malparado do grupo subiu 1,10 pontos, para 5,64%, tendo em Espanha crescido 3,65 pontos, para 7,49%, devido em parte à reclassificação das hipotecas.

Durante o ano passado o crédito a clientes caiu 7%, para 668.856 milhões de euros, enquanto os os depósitos recuaram 3%, para 607.836 milhões.