A Standard & Poor's (S&P) anunciou esta quarta-feira a manutenção do 'rating' da EDP e subiu o da REN devido "a uma melhoria das condições macroeconómicas" de Portugal.

A agência de notação financeira já havia melhorado o 'rating' de longo prazo de Portugal, de 'BB' para 'BB+', a 18 de setembro, antecipando uma continuidade das políticas seguidas "independentemente do resultado das eleições de outubro".

Deste modo, a S&P manteve o 'rating' de longo prazo da EDP em 'BB+', igual ao da República Portuguesa, bem como as perspetivas ('outlook') positivas porque, segundo comunicado da empresa à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários, existe "um menor risco país devido a uma melhoria das condições macroeconómicas em Portugal e Espanha".

A S&P considera que a melhoria das perspetivas económicas "reforçou a posição da EDP e continua a ver potencial para um fortalecimento das métricas de crédito da empresa para níveis que consideram compatíveis com uma notação de 'rating' superior".

Quanto à REN - Redes Energéticas Nacionais, a agência de notação financeira subiu a sua nota de longo prazo de 'BB+' para 'BBB-' mantendo as perspetivas em positivo com a mesma justificação que a da EDP, ou seja, a melhoria das condições de risco do país.

No entanto, a S&P considera que esta subida de 'rating' reflete a revisão "da avaliação de risco do negócio da REN de 'forte' para 'excelente'".

Embora a REN seja inteiramente regulada e as suas receitas sejam, consequentemente, facilmente previsíveis, a agência acredita que "a melhoria macroeconómica poderia ajudar a mitigar as preocupações de acessibilidade" aos mercados financeiros e "a apoiar o setor de energia".