Os resultados da Oferta Pública de Venda (OPV) das mais de 58,7 milhões de ações, representativas de 11% do capital da REN - Redes Energéticas Nacionais e detidas pelo Estado, são divulgados hoje em sessão especial de Bolsa, em Lisboa.

Num comunicado referente aos preços da OPV e divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) na sexta-feira, a REN informa que o preço da OPV no segmento destinado ao público em geral e da Venda Direta Institucional foi fixado em 2,68 euros.

Em relação ao preço da parcela destinada à aquisição pelos trabalhadores da REN, a empresa anunciou que este foi fixado em 2,546 euros.

No referido comunicado, a empresa adianta que na OPV não foram colocadas todas as ações previstas e que as que sobraram vão ser alienadas na Venda Direta Institucional, para a qual houve um excesso de procura.

Assim, da venda das 58.740.000 ações representativas de 11% do capital da REN, 10.047.680 serão alienadas em OPV e as restantes 48.692.320 em Venda Direta Institucional.

A venda dos 11% do capital da REN, pela Parpública (52.871.340 ações de categoria B, 9,9% do capital) e pela Caixa Geral de Depósitos (5.868.660 ações de categoria B, 1,1% do capital), foi decidida em Conselho de Ministros de 24 de abril.

No âmbito da reprivatização, as ações de Categoria B serão automaticamente convertidas em ações ordinárias com a sua venda.

Os chineses da State Grid (25% do capital) e os árabes da Oman Oil Company (15%) são os principais acionistas da REN, depois de terem adquirido 40% do capital da empresa, numa operação de privatização que gerou um encaixe para o Estado de 592,21 milhões de euros.

A sessão especial de Bolsa destinada à divulgação dos resultados da OPV de 11% da REN vai ser presidida pelo ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, e por um representante do Ministério das Finanças.

As 58.740.000 ações representativas de 11% do capital da REN, com valor nominal de 1 euro cada uma, deverão ser admitidas à negociação no mercado Euronext Lisbon da Euronext Lisbon na terça-feira.