O índice acionista de referência fechou a cair 0,57%, com os investidores a tomarem lucros após ganhos recentes, numa sessão em que a rejeição da Alemanha ao pedido formal da Grécia da extensão da ajuda financeira europeia ao país atenuou um rally nas praças principais do continente.

De acordo com a Reuters, o índice FTSEurofirst 300, que agrega as 300 maiores empresas da Europa, chegou a subir 0,4% para máximos de sete anos, mas fechou a avançar 0,28% após o ministério das Finanças alemão ter dito que a proposta grega não levará a «uma solução substancial».

Numa carta ao presidente do Eurogrupo, o ministro da Finanças grego pediu formalmente uma extensão por seis meses do Master Financial Assistance Facility Agreement que o país tem com os parceiros europeus.

O Governo do partido anti-austeridade Syriza prometeu honrar todas as dívidas, abster-se de tomar ações unilaterais que podem pôr em risco os objectivos orçamentais e aceitou que a extensão seja monitorizada pela troika.

O Eurogrupo marcou uma reunião amanhã para discutir o pedido grego, e a Commissão Europeia referiu que a iniciativa é «um bom sinal», mas o Governo Alemão adiantou que a proposta não corresponde ao critério acordado na reunião de segunda-feira.

A bolsa de Atenas fechou, contudo, a somar 1,06%, suportada por um disparo de 5,37% no índice do sector da banca grega.

A yield da dívida soberana grega a 10 anos chegou a aliviar 40 pontos base (pb), mas segue a cair 21 pb para 10,22%, enquanto a portuguesa recua 10 pb para 2,27%.