A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) está a seguir a evolução da negociação dos títulos do Banco Espírito Santo (BES), de forma a avaliar se determina, ou não, a sua suspensão, revelou à Lusa fonte oficial do supervisor.

«A CMVM está a acompanhar a negociação» das ações do BES, adiantou esta quinta-feira a entidade liderada por Carlos Tavares, depois de questionada sobre se está a ponderar ordenar a suspensão dos títulos do banco, face à sequência de notícias negativas sobre a instituição.

A meio da sessão, os papéis do BES seguem a valorizar mais de 5% para 0,50 euros, de acordo com os dados da Infobolsa, no dia em que o ex-presidente executivo do BES, Ricardo Salgado, começou a ser ouvido na qualidade de arguido pelo juiz Carlos Alexandre, do Tribunal Central de Instrução Criminal.

Ainda assim, o facto de Ricardo Salgado (bem como os restantes ex-administradores ligados ao clã Espírito Santo) já não estar a desempenhar funções no BES, é um elemento importante para a decisão que o supervisor vier a tomar sobre esta matéria.

A audição de Ricardo Salgado para primeiro interrogatório judicial ocorre no âmbito da Operação Monte Branco, que investiga a maior rede de branqueamento de capitais em Portugal, disse à Lusa fonte do Tribunal Central de Instrução Criminal.

Em nota enviada à comunicação social, a Procuradoria-Geral da República confirmou a detenção de Ricardo Salgado.

«No âmbito do Processo Monte Branco, o Ministério Público (DCIAP) tem vindo a realizar várias diligências que culminaram com a detenção de Ricardo Salgado no dia de hoje», refere a nota da PGR.

A detenção de Ricardo Salgado surge na sequência de buscas efetuadas na quarta-feira a várias entidades do Grupo Espírito Santo.