Foi mais um dia nada famoso para a Bolsa de Lisboa: o PSI-20 encerrou a sessão a tombar 2,18% nos 5.277,50 pontos, a perder mais que as restantes praças europeias e com apenas três cotadas no verde.

A PT espalhou-se ao comprido, ao perder 12,9%, fixando o preço das ações em 1,42 euros. Adensam-se os rumores de que o grupo francês Altice está pronto para comprar a cotada, significando isto que termina a fusão entre a PT e a Oi e o respetivo projeto de expansão luso-brasileiro, tão caro a Zeinal Bava, que também já bateu com a porta da Oi.

No mercado de São Paulo, a Oi também está a «sofrer», com uma queda de 8,8%, com cada ação a custar 1,46 reais.

A Mota-Engil tombou 5%, nos 4,13 euros, seguida pelo BCP, o banco que mais depreciou esta quinta-feira ,4,2%, fixando o preço das ações nos 0,09 euros. O BPI caiu menos, 0,9%, com as ações a valer 1,42 euros.

O setor da energia também não conseguiu negociar acima da linha de água: a Galp desceu 1,5%, nos 11,78 euros e a EDP caiu ligeiros 0,2%, nos 3,28 euros por ação.

Na Europa, as principais praças encerraram em terreno negativo, à semelhança de ontem. A maior queda pertenceu a Milão, que derrapou 1,3%, Londres caiu 0,8%, Paris e Madrid desceram 0,6% e Frankfurt, a única que fechou em contraciclo, ganhou ligeiros 0,3%.