A 30 de junho, quando veio esclarecer as aplicações de quase 900 milhões de euros em papel comercial da Rioforte, a PT reconheceu ter depósitos no BES no montante de 128 milhões de euros, repartidos pela PT International Finance BV e PT Portugal (22 milhões) e a PT SGPS (106 milhões).

Esta segunda-feira a PT SGPS garantiu ao Público que a holding não tem qualquer depósito no BES a esta data.

Também fonte oficial da PT Portugal assegurou que não existe qualquer exposição ao banco que pertenceu à família Espírito Santo.

A PT conseguiu assim escapar à determinação do Banco de Portugal de transferir para o «banco mau» os depósitos dos acionistas com mais de 2% do capital à data da criação deste banco, mas dificilmente escapará a perdas com a participação qualificada no banco e que estava avaliada em 2013 em 89 milhões de euros.

Além da posição no BES, é também na PT Prestações que estão parqueados os investimentos de 95 milhões de euros em fundos detidos pela Ongoing. No total, os 2 investimentos rondam os 184 milhões de euros.