A administração da Portugal Telecom (PT) alertou esta quarta-feira para os acionistas ponderarem quando votarem na assembleia geral de 12 de janeiro sobre a alienação da PT Portugal à Altice.

Numa nota divulgada no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), nota a Lusa, no seu conjunto, argumentam os administradores, está em causa a possibilidade de a situação financeira da PT ser afetada «de forma adversa ou significativa» com esta alienação pretendida pela brasileira Oi e, assim, o seu valor de mercado diminuir.

Na segunda-feira, a Oi afirmou que a venda da PT Portugal lhe vai permitir a participação no processo de consolidação do setor no Brasil e contribuir para reduzir a sua dívida.

Entre as várias chamadas de atenção feitas está a de a avaliação da PT Portugal «pode não refletir adequadamente o valor dos ativos a serem vendidos à Altice», apesar de os administradores explicitarem que «não participaram na negociação dos termos e condições da venda da PT Portugal pela Oi à Altice».

Da mesma forma, acrescentaram que «não podem prever se o objetivo da Oi de participar na consolidação do setor de telecomunicações no Brasil (...) trará os benefícios esperados pela Oi».

Um terceiro alerta foi o de a combinação de negócios em curso entre a PT e a Oi «pode não resultar nas sinergias e outros benefícios que a Portugal Telecom, a Oi e a TmarPart pretendem atingir».

Entretanto, no dia 09 de novembro, a Terra Peregrin, da empresária angolana Isabel dos Santos, lançou uma oferta pública de aquisição sobre a PT, mas já avisou que a deixa cair se os acionistas da PT aprovarem a venda da PT Portugal à Altice.