Já está aberta a assembleia geral de acionistas da PT SGPS, mas foi entretanto suspensa durante cinco minutos, para que a mesa possa analisar propostas de adiamento, entregues por acionistas de referência (Novo Banco, Telemar, Visabeira e Controlinveste).

Esta AG serve para decidir a venda da PT Portugal à Altice, mas a reunião ainda poderá ser suspensa,se os acionistas assim o deliberarem.

Fora do edifício estão cerca de duas centenas de trabalhadores em protesto.

Também a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários considerou que esta assembleia geral magna deveria ser adiada. Aliás, a negociação das ações da cotada continua suspensa na Bolsa de Lisboa.

O conselho de administração da empresa afirmou compreender que os acionistas «possam vir a considerar mais adequado suspender a sessão». 

A PT SGPS refere que, no âmbito do pedido feito pela CMVM, a administração enviou a 10 de janeiro «um projeto de comunicado ao mercado contendo informação complementar de suporte adicional à proposta de elementos preparatórios facultados aos senhores acionistas para efeitos da assembleia geral». 

Na sexta-feira, o Conselho de Administração da PT SGPS esteve reunido cerca de seis horas, tendo suspendido o encontro para durante o fim de semana decorrerem novos contactos entre este órgão, a CMVM e o presidente da mesa da assembleia-geral, com o objetivo de encontrar um consenso sobre a sua realização.