As ações da Portugal Telecom estiveram nesta sessão de segunda-feira em queda livre na bolsa portuguesa.

Os títulos da operadora nacional já chegaram a afundar 27,59%, a custar menos de um euro.

As ações continuam sob uma forte pressão vendedora. Na sexta-feira, a Morgan Stanley, assessor da Altice na eventual compra da PT Portugal, emitiu uma nota de análise (research) onde anunciava que reiniciou a cobertura da PT, atribuindo-lhe um preço-alvo de 0,79 euros, abaixo da cotação atual, na altura.

«A Portugal Telecom continua pressionada pelo relatório do Morgan Stanley, que aponta um preço-alvo de 0,79 euro. Temos visto um progressivo desmoronamento», disse Gualter Pacheco, operador na GoBulling, em Porto, citado pela Reuters.

Na sexta-feira, as ações da Portugal Telecom já tinham fechado em queda de 9 por cento.

Até ao momento, já foram negociadas mais de 51 milhões de ações da PT.

Note-se que a cotada PT SGPS detém apenas uma participação de 25,6 por cento na Oi e com quem está em processo de fusão, se bem que ameaçado agora desde que começaram os rumores de que a Oi queria vender a PT Portugal e o interesse do grupo francês Altice já manifestado na compra do ativo.

Para além desta incerteza, outra: os acionistas duvidam que a PT consiga recuperar a dívida de cerca de 900 milhões de euros de empréstimo não pago pela holding Rioforte.

Às 16:13, a PT estava a cair 9,5%, com cada título a valer 1,10 euros.