A bolsa de Lisboa encerrou esta sessão de sexta-feira na linha de água, com as quedas dos CTT e Jerónimo Martins a serem contrabalançadas pelas subidas dos pesos-pesados Portugal Telcom, EDP e Millennium bcp, face a uma Europa igualmente dividida entre a tomada de lucros e o aplauso ao cessar-fogo na Ucrânia.

O índice PSI20 fechou praticamente estável nos 6.055 pontos, com nove títulos em queda e igual número de

subidas, num dia em que foram negociados um total de 424 milhões de ações, ou 125 milhões de euros, na NYSE Euronext Lisbon.

As ações dos CTT protagonizaram a maior queda no índice, ao recuarem 5,43% para 7,386 euros, após a Parpública ter anunciado, ainda antes da abertura de bolsa, a conclusão da venda dos derradeiros 31,5% nos CTT a 7,25 euros por ação a investidores institucionais, permitindo um encaixe de 343 milhões de euros.

«Acreditamos que é natural a ação corrigir, mas mantemos a confiança no título», afirmou João Flores, analista do

Millennium Investment Bank, realçando que o outlook permanece positivo, escreve a Reuters.

Para isso, segundo João Flores, contribui a remoção da

pressão de overhang, o facto dos CTT passarem a ser 100% detidos por privados, a procura que existiu por todas as ações em oferta e, por fim, o «interessante» plano de reestruturação da empresa.

Pressão adicional da retalhista Jerónimo Martins que perdeu 2,71% e fechou nos 10,215 euros.

A líder do retalho alimentar na Polónia e número dois em

Portugal foi esta manhã alvo de um downgrade do Exane BNP Paribas que cortou o título para Neutral e o preço-alvo para 11,2 euros por ação.

A contrabalançar estas quedas estiveram as subidas de 1,74% para 1,75 euros da Portugal Telecom, de 1,35% para 3,668 euros da EDP e de 1,53% para 0,1127 euros do Millennium bcp.

«Tivemos hoje uma sessão de tomada de mais valias por toda a Europa depois dos máximos de ontem, na sequência das decisões do Banco Central Europeu», referiu à Reuters Albino Oliveira, analista da Fincor, em Lisboa.

«A banca continua forte e beneficia ainda das medidas do BCE e da descida da yield soberana, enquanto pela negativa, o destaque vai para as ações dos CTT a ajustarem à venda a desconto do bloco detido pelo Estado».

Europa mista



Os principais índices bolsistas europeus encerraram sem

tendência definida, divididos entre a realização de mais valias, após as fortes subidas de ontem, e a outperformance dos títulos mais expostos à Rússia, depois do anunciado cessar-fogo com a Ucrânia.

As bolsas europeias dispararam ontem, na sequência do corte inesperado da taxa de juro do Banco Central Europeu (BCE) e do anúncio de medidas de estímulo à economia da zona euro.

EUA seguem em queda ligeira

Do outro lado do Atlântico, o cenário é de quedas ligeiras, após os números desapontantes do mercado de trabalho norte-americano, mas que acaba também por mostrar que a Reserva Federal deverá manter as taxas de juro a níveis baixos por mais tempo.

No mês de Agosto, a economia norte-americana criou 142 mil

novos empregos nos sectores não-agrícolas, um número que ficou aquém dos 225 mil estimados pelos economistas.