A bolsa nacional abriu em alta neste arranque da semana a aplaudir o acordo - entre PSD e o CDS-PP - que viabiliza a estabilidade governativa do país.

O índice PSI20 avança 2,15% para 5.523,31 pontos, com 18 das 20 cotadas a valorizar.

O «El País» noticia esta segunda-feira que Bruxelas está a preparar um «resgate suave» a Portugal. Em cima da mesa está uma linha de crédito de precaução que pode ter duas leituras: o «programa português não funciona e é necessário dar um novo impulso a Portugal» ou «Bruxelas não vai deixar cair Lisboa, faz tudo o que a troika pede». Ainda assim, o mercado está a mostrar que já estava à espera desta notícia, já que várias fontes europeias têm avançado com essa possibilidade nos últimos tempos.

A bolsa está a refletir, antes, o acordo político alcançado no último sábado. Toda a banca está em recuperação. O BCP dispara 5,75% para 0,092 euros, o BES trepa 5,28% para 0,638 euros e o BPI sobe 3,75% para 0,912 euros.

Também a EDP ganha 2,06% para 2,419 euros e a Portugal Telecom (PT) valoriza 2,05% para 2,880 euros. Nota ainda para a Jerónimo Martins que pula 1,00% para 16,130 euros.

Na restante Europa, o movimento também é de recuperação depois das quedas recentes. Os índices variam entre 0,93% de Frankfurt e 1,6% de Paris, em dia de reunião dos ministros das Finanças do euro.

O Eurogrupo vai estudar o princípio de acordo fechado entre a troika e a Grécia para aplicar novos ajustamentos, condição prévia para o desembolso de outra tranche do resgate ao país.

A situação de Portugal, apesar de não fazer parte dos temas da agenda, também deverá ser abordada. A nova ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, deverá dar a conhecer aos seus homólogos a solução encontrada pelos partidos da maioria para combater a crise política. Albuquerque deverá ainda garantir que essa solução é suficientemente sólida para o país continuar a executar o programa.

Há instantes, o Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a subir 1,45% para 2.633,75 pontos.

Ao nível do mercado cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,2816 dólares, abaixo dos 1,2841 dólares do encerramento de sexta-feira e depois de ter atingido, a 01 de fevereiro, o valor mais alto face ao dólar desde novembro de 2011, quando ultrapassou os 1,36 dólares.

O barril de petróleo Brent para entrega em agosto abriu em alta, a cotar-se a 107,96 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,24 dólares que no encerramento da sessão anterior.