As ações da Portugal Telecom (PT) afundam 9% e o índice de referência português cai 3,6% - a maior queda da Europa -, recuando para mínimos de Setembro de 2012, contagiado pelos receios que o ritmo de expansão da economia global abrande.

Ações da PT tocam o valor mais baixo de sempre

Todos os 18 títulos do índice seguem pressionados. O destaque vai para a PT, que recua para mínimos históricos, tendo tocado um mínimo de sempre nos 1,23 euros.

O PSI20 recua para os 5.087 pontos.

A PT é arrastada pela forte queda da cotação da sua parceira brasileira Oi, cuja recente saída do CEO Zeinal Bava levanta dúvidas sobre se a fusão das duas empresas se concretizará.

Também a pressionar o índice, a Galp recua 2,7% para 11,47 euros, a Jerónimo Martins 2,7% para 7,87 euros e o Millennium bcp 4% para 0,086 euros.

Fora do PSI20, a Espírito Santo Saúde (ESS) recua 0,2% para 4,96 euros.

A Rioforte e a Espírito Santo Health Care anunciaram que aceitaram vender a sua participação de 51% na Espírito Santo Saúde (ESS) à Fidelidade dos chineses da Fosun, após esta ter revisto o preço oferecido para 5,01 euros por acção.

A EDP Renováveis perde 3,8%, o BPI 5%, a Mota Engil 4% e a Portucel 3%.

O Dax tocou em mínimos de um ano, numa sessão em que todos os pares do PSI20 caem mais de 1%.

A origem das perdas foram dados macroeconómicos desapontantes vindos da maior economia do euro, a Alemanha, que pioram as perspetivas sobre a trajetória de crescimento da economia global.

Esta semana, foi conhecido que os pedidos na indústria caíram abruptamente em Agosto, na Alemanha, e as exportações sofreram a maior queda desde Janeiro de 2009.