A Bolsa de Lisboa encerrou a penúltima sessão da semana a ganhar 0,61% nos 5.905,32 pontos, impulsionada pela onda de ganhos europeia.

Esta quarta-feira a Reserva Federal norte-americana decidiu manter as taxas de juro , o que sossegou os investidores.

Frankfurt teve a maior subida, aos crescer 1,4%. Madrid e Paris avançaram 0,8%, Londres subiu 0,6% e Milão apreciou 0,6%.

Em Lisboa, o BPI foi a cotada que mais subiu. Trepou 5% para os 1,71 euros, ainda a beneficiar da possibilidade do banco comprar o Novo Banco.

Apesar da Mota-Engil ter estado a subir mais de 5%, depois do anúncio do Governo de que a empresa venceu o concurso para a privatização da EGF , encerrou a sessão a ganhar 1%, fixando o preço das ações em 5,22 euros. A Teixeira Duarte trepou 2,2%, para os 0,89 euros.

Destaque ainda para a EDP, que apreciou 2%, nos 3,50 euros por ação.

O peso pesado BCP conseguiu valorizar apenas 0,1%, com o preço das ações ainda nos 0,10 euros.

Já a PT terminou a sessão a perder 0,4%, nos 1,79 euros por ação, um dia depois da > Telecom Italia ter desmentido o interesse numa oferta pública de aquisição sobre a Oi.