O PSI-20 segue a perder há três sessões consecutivas e cai agora 0,87%, nos 5.230,47 pontos, com 16 cotadas no vermelho.

Esta terça-feira, a ronda negocial da coligação governamental de centro-direita com o Partido Socialista voltou a fracassar e não ficou prevista nenhuma reunião adicional, mantendo a incerteza do futuro governativo que está a deixar os mercados nervosos.

Por isso mesmo, é o setor da banca o que continua a acumular mais perdas: o BCP desliza 2,9%, mantendo o preço das ações em 0,05 euros. O BPI cai menos, 0,8%, com os títulos a cotar a 1,04 euros.

Destaque também para a Mota-Engil, que desce 2,7%, nos 2,08 euros.

No setor da Energia, a Galp cai 1,1%, com as ações a valer 9,64 euros. A EDP deprecia 0,8%, nos 3,34 euros.
No mercado secundário, os juros da dívida pública seguem a subir, no dia em que Portugal volta ao mercado para colocar até 1.250 milhões de euros de dívida a longo prazo.

As obrigações do tesouro a 10 anos estão a negociar a 2,443%, as OT a 5 anos fixam-se em 1,142% e as OT a 2 anos estão a 0,267%.
 

Europa desiludida com inflação chinesa

 
Os principais índices europeus abriram a sessão em baixa, espelhando as quedas dos mercados asiáticos, desapontados com o aliviar da inflação na China, que amplificou receios de pressões deflacionistas na segunda maior economia mundial. 

Paris é a praça que mais desce, 1%, seguida da queda de 0,9% de Frankfurt. Milão desce 0,8%, Madrid deprecia 0,67% e Londres cai 0,5%.