O PSI-20 encerrou a semana a cair 1,06% para os 5.221,56 pontos, a aliviar um pouco das perdas da sessão. O setor da banca, nomeadamente o BCP, ajudou a travar maiores perdas, ao subir 1,1%, nos 0,09 euros por ação.

Já o Banif foi a cotada que mais caiu, 2,8% para os 0,007 euros. Já o BPI perdeu 0,9%, nos 1,41 euros por ação.

No setor da energia, a REN depreciou 2,6%, fixando o preço das ações para 2,54 euros. A Galp desceu 1,5% para 11,60 euros, e a EDP desceu ligeiros 0,5%, nos 3,27 euros por ação.

A PT também caiu, mas bem menos do que os 13% que chegou a desvalorizar nas sessões de ontem e hoje. A cotada desceu 1,5%, nos 1,40 euros.

Do lado das subidas, os CTT ganharam 1,4%, para os 7,22 euros.

Já fora do PSI-20 a Espírito Santo Saúde ganhou ligeiros 0,1%, a cotar a 4,98 euros por ação. Foi esta sexta-feira que a Rioforte aceitou vender a Espírito Santo Saúde à Fidelidade. Esta quinta-feira a Comissão de Mercado e Valores Mobiliários decidiu retirar a oferta da UnitedHealth.

Na Europa, as principais praças também fecharam no vermelho, com uma queda acentuada de 2.1% de Frankfurt. A origem das perdas foram dados macroeconómicos desapontantes vindos da maior economia do euro, a Alemanha, que pioram as perspetivas sobre a trajetória de crescimento da economia global.

Paris desceu 1,6%, Londres depreciou 1,2%, Madrid caiu 1% e Milão desceu 0,9%.