Portugal pretende emitir dívida de médio e longo prazo no início de 2014, afirmou o presidente IGCP, João Moreira Rato, adiantando que se irá tentar conseguir financiamento para 2015 já no início do próximo ano.

Numa entrevista à Bloomberg em Londres, o presidente da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública disse que, apesar das maturidades preferidas para emissão serem os 5 e os 10 anos, o prazo da obrigação que se planeia emitir no início do ano ainda não está decidido.

Já a dimensão deve ser semelhante à dos leilões de médio e longo prazo realizados este ano (2,5 mil milhões de euros a cinco anos e 3 mil milhões de euros a dez anos), e a operação deve ser realizada através da utilização de um sindicato bancário.

João Moreira Rato afirmou ainda que o instituto que gere a dívida pública portuguesa quer começar a pré-financiar o ano de 2015 já no início de 2014, e que para o próximo ano ainda restam cerca de 7 mil milhões de euros de necessidades de financiamento que têm de ser preenchidas.

O líder do IGCP diz também que os investidores da Escandinávia e França estão a voltar a demonstrar apetite pela dívida pública portuguesa, e que os investidores de Espanha e Itália estão a envolver-se mais, garantindo que Portugal está a trabalhar com o pressuposto que não haverá qualquer tipo de reestruturação.