Portugal pretende arrecadar esta quarta-feira até 1.500 milhões de euros através de dois leilões de Bilhetes de Tesouro com maturidades a seis meses e a um ano, anunciou a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP).

Estes dois leilões das linhas de Bilhetes de Tesouro, os primeiros do ano, vencem a 20 de junho de 2016 e 20 de janeiro de 2017, e têm um montante indicativo global entre 1.250 milhões de euros e 1.500 milhões de euros.

Durante o primeiro trimestre do ano, a agência liderada por Cristina Casalinho prevê emitir entre 3.000 milhões e 3.750 milhões de euros em Bilhetes de Tesouro, através de seis leilões de dívida de curto prazo, entre os seis e os 12 meses.

No último leilão de Bilhetes de Tesouro a um ano, que ocorreu a 18 de novembro de 2015, o IGCP conseguiu emitir 1.100 milhões de euros a uma taxa negativa de 0,006%, inferior à de 0,051% praticada no anterior leilão comparável de 16 de setembro.

No leilão comparável seis meses, que ocorreu no mesmo dia, Portugal conseguiu arrecadar 400 milhões de euros, também a uma taxa negativa, de -0,018%, abaixo da do anterior leilão comparável, de 0,006%, de 16 de setembro.