Portugal deve pagar uma taxa de juro de 5,1% para colocar cerca de 3 mil milhões de euros de dívida a 10 anos, na operação sindicada que está esta terça-feira a terminar no mercado, disse à Lusa uma fonte envolvida na operação.

Portugal está nos mercados com 1ª emissão de longo prazo desde maio

A operação anunciada esta segunda-feira e que se realizou ao início da manhã fechou os livros de ofertas às 10:30, numa operação que está a ser gerida por um sindicato bancário constituído pelo Barclays, BES, Citigroup, Royal Bank of Scotland, Credit Agricole e Société Générale.

A taxa de juro final foi fixada nos 320 pontos base acima da referência para as taxas de juro da dívida a 10 anos na zona euro, que negoceia em volta dos 1,9%, fixando assim a taxa de juro final em pouco mais que 5,1%.

Com os livros de ofertas fechados, o instituto que gere a dívida pública portuguesa tem agora de decidir junto de que investidores colocar a dívida pública portuguesa.

A última vez que Portugal colocou dívida a 10 anos foi em maio do ano passado, quando colocou cerca de 3 mil milhões de euros a uma taxa de juro média de 5,699%, o que equivale a mais 400 pontos base acima da taxa de referência do euro para a dívida a 10 anos naquela altura.