A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública anunciou que recomprou 293,2 milhões de euros de Obrigações do Tesouro com maturidade em Outubro de 2014 e que têm um cupão de 3,6%, e 1.026,6 milhões de OT que expiram em Outubro de 2015 e com um cupão de 3,35%.

Segundo a Reuters, o Tesouro recomprou as OT/Out/2014 a um preço médio de 101,971 e as OT/Out/2015 a 103,437.

Estas recompras, que acontecem quando a troika está em Lisboa para o décimo primeiro e penúltimo exame ao programa de resgate, fazem parte da estratégia de reduzir a pressão das amortizações de Bonds, que ascendiam a cerca de 20.000 ME no conjunto dos dois anos.

Tirando partido da confortável posição de cash da ordem dos 13.000 milhões no final de 2013 e após a colocação de 3.000 milhões de OT a 10 anos em Fevereiro último, o Tesouro português cobriu todas as necessidades de financiamento de 2014 e já está a pré-financiar as de 2015.

Aquela posição de tesouraria compara com 11.800 milhões de euros de necessidades líquidas de financiamento em 2014.

Portugal quer concluir com sucesso o resgate em 17 de Maio e depois terá apenas duas alternativas: financiamento autónomo nos mercados internacionais como fez a Irlanda ou o apoio de uma linha de precaução providenciada pelos parceiros europeus.

A taxa de juro das Obrigações do Tesouro portuguesas a 10 anos estão a deslizar para mínimos de Junho desde 2010 nos 4,85 pct, ou seja muito abaixo dos 6,1 pct em Dezembro e 7,1 pct em Setembro. No entanto, estão ainda muito acima da casa dos 3% a que negociava a dívida equivalente da Irlanda quando, em Dezembro de 2013, concluiu o seu programa de resgate.