[Atualizada às 14h51]

A CMVM está a investigar a compra de mais de 3% de ações da Espírito Santo Saúde por parte de dois administradores do grupo Angeles antes do lançamento oficial da OPA. Essa compra pode configurar abuso de informação privilegiada. A informação é avançada esta quinta-feira pelo jornal «Diário Económico» e pelo jornal «Público».

O regulador do mercado já confirmou que dois altos responsáveis do grupo mexicano adquiriram 3,32% da ESS entre julho e agosto, num negócio que poupa ao grupo Angeles 1,7 milhões.

De acordo com as mesmas notícias, a última aquisição de ações do Espírito Santo Saúde foi feita na segunda-feira, apenas um dia antes de ser feito o anúncio preliminar da OPA. Recorde-se que o valor oferecido pelas ações era 9% superior ao de mercado.

O Governo disse entretanto ter «toda a confiança» na CMVM caso esta investigue eventuais ilegalidades na OPA lançada pela Ángeles.

«Essa matéria obviamente não diz respeito ao Governo, diz respeito aos reguladores dos mercados. Cabe à CMVM fazer a devida investigação para saber se o cumprimento da lei foi integralmente satisfeito ou não. O Governo não interfere nessas matérias e obviamente tem toda a confiança no trabalho do regulador sobre esta matéria», disse o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes.