Os juros da dívida pública portuguesa bateram esta manhã um novo mínimo histórico.

Os juros das obrigações a 10 anos chegaram a negociar abaixo de 2,69%, enquanto os juros da dívida a cinco anos fixaram-se a menos de 1,5%.

Esta queda dos juros é motivada pela expetativa de que o Banco Central Europeu avance com a compra da dívida soberana no início de 2015.

A 17 de maio de 2014, Portugal abandonou oficialmente o resgate sem qualquer programa cautelar.

O programa de ajustamento solicitado por Portugal à troika, no valor de 78 mil milhões de euros, esteve em vigor durante cerca de três anos.

A 04 de dezembro, o  Banco Central Europeu manteve inalteradas as taxas de juro, mas o presidente da instituição, Mario Draghi, voltou a deixar antever que a entidade monetária se prepara para comprar dívida soberana em grandes quantidades, caso as medidas adotadas até agora não sejam suficientes e as perspetivas da inflação piorem.

A compra de dívida pública tem sido apontada como a última hipótese de o BCE conseguir inverter a tendência de queda de preços e impulsionar a economia.

A próxima reunião do BCE está marcada para 22 de janeiro, na qual irá debater a política monetária e muito provavelmente o programa de compra de ativos.

O presidente do banco central, Mario Draghi anunciou recentemente que o BCE já se está a preparar tecnicamente para o poder fazer.

A taxa de juro diretora está fixada no mínimo histórico de 0,05%  desde 04 de setembro passado.