Foi mais um dia vermelho para a bolsa de Lisboa, com o PSI-20 a perder 3,04% nos 5.797,67 pontos.

A culpa foi do BES, que tombou quase 50% e com as ações a tocarem os 0,11 euros. A Comissão de Mercado e Valores Mobiliários decidiu suspender a negociação das ações antes do fecho da bolsa , situação que vai manter-se até à divulgação de informação relevante.

Nessa altura as ações caiam 40,3%, com cada ação a valer 0,12 euros. Foram negociadas quase 252 milhões de títulos durante a sessão de hoje.

Esta sexta-feira o Grupo Espírito Santo continua a sofrer o impacto dos últimos desenvolvimentos. A Espírito Santo Financière (ESFIL) pediu gestão controlada no Luxemburgo. Também a Espírito Santo Financial Portugal admitiu a incapacidade de honrar compromissos e apresentou um pedido de insolvência.

O resto da banca viu-se arrastada pela hecatombe: o BCP tombou 5,78%, com as ações a valerem 0,10 euros. O BPI depreciou 4,8%, fixando o preço das ações em 1,43 euros.

Mas a maré vermelha alastrou-se à maioria das cotadas: a PT perdeu 4,3% nos 1,54 euros, a EDP caiu 2,4%, nos 3,41 euros.

A única nota verde foi para a Jerónimo Martins, cuja recuperação técnica lhe permitiu ganhar 2,1%, para os 9,98 euros.

Também na Europa o sentimento foi negativo: Frankfurt perdeu 2,3%, Madrid caiu 1.8%, Paris desceu 1,02%, Milão depreciou 1,01% e Londres desceu 0,9%.