A agência de notação financeira Moody's prolongou esta segunda-feira o período de revisão do rating do Novo Banco, explicando que aguarda a divulgação dos indicadores financeiros que vão permitir definir o balanço final da instituição.

«Estas métricas são essenciais para a Moody's avaliar a notação do Novo Banco e concluir a ação de revisão iniciada a 12 de agosto de 2014», realçou a agência de rating numa nota hoje libertada, de acordo com a Lusa.

A Moody's quer perceber se o Novo Banco está «total e efetivamente protegido de exposições problemáticas e responsabilidades contingentes relacionadas com a insolvência do BES (Banco Espírito Santo)».

A 03 de agosto, o BdP tomou o controlo do BES, após o banco ter apresentado prejuízos semestrais de 3,6 mil milhões de euros, e anunciou a separação da instituição em duas entidades.

No chamado banco mau ('bad bank'), um veículo que mantém o nome BES, ficaram concentrados os ativos e passivos tóxicos do BES, assim como os acionistas, enquanto no 'banco bom', o banco de transição que foi designado Novo Banco, ficaram os ativos e passivos considerados não problemáticos.