A Mota-Engil registou um resultado líquido de 50,55 milhões de euros em 2014, valor em linha com o lucro registado no ano anterior, revelou a construtora.

Nota a Lusa que o grupo frisa que o volume de negócios atingiu em 2014 um total de 2,4 mil milhões de euros, dos quais 45% em África, ao passo que o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) aumentou 13%, para 409 milhões de euros.

A carteira de encomendas, por seu turno, atingiu 4,4 mil milhões de euros, dos quais 45% e 32% na América Latina e em África, respetivamente, e a dívida da construtora a 31 de dezembro de 2014 era de 1.159 milhões de euros, mais 187 milhões do que no período homólogo de 2013.

Já os resultados financeiros foram, em 2014, negativos em 131 milhões de euros, «o que representou um agravamento de 25 milhões face ao ano de 2013, essencialmente na sequência de mais-valias realizadas em 2013, relativamente à venda de participações financeiras, e do efeito de alteração do método de contabilização de diferenças cambiais», nota a Mota-Engil.


Para 2015, a empresa antecipa um «crescimento do volume de negócios consolidado, suportado na carteira de encomendas e no esforço de internacionalização e de diversificação» e também a «melhoria das margens na Europa, com contribuição de todos os países» para tal.

Este será também um ano de transição em África, com uma 'performance' «assente em margens estáveis nos mercados tradicionais», e haverá, antecipa a construtora, um «crescimento de volume de negócios suportado em carteira de encomendas na América Latina».