A agência de notação financeira Moodys anunciou na noite de quarta-feira que colocou a nota Ba3 atribuída aos depósitos e à dívida de longo prazo do Banco Espírito Santo (BES) sob revisão, com vista à sua descida.

Esta ação resultou dos problemas na governação do banco, «que foram evidenciados pelo anúncio inesperado, em 20 de junho de 2014, de uma assembleia geral extraordinária do BES para redefinir a estratégia do banco», lê-se no comunicado emitido pela agência de rating.

A Moodys adiantou que as preocupações começaram depois da apresentação das contas de 2013 pela holding do BES, a Espirito Santo Financial Group (ESFG).

Na altura, especificou, foram revelados os problemas da principal acionista da holding, a Espirito Santo International, além de se ter ficado a saber da necessidade de a holding constituir uma provisão de 700 milhões de euros para acomodar prejuízos.

A Moodys colocou também sob observação, para redução, o rating de B2 atribuído à ESFG.

As conclusões da assembleia geral de 31 de julho serão determinantes para a futura nota.