A agência de notação financeira Moody's Investors Services cortou hoje em dois graus os ratings da dívida de longo prazo e dos depósitos da Caixa Económica Montepio Geral para B2, face à anterior classificação de Ba3, anunciou a Moody's.

«A revisão em baixa reflete os indicadores de rentabilidade piores do que o esperado ao longo de 2013, que comparam mal com outros bancos portugueses similares e que deverão continuar sob pressão devido ao ambiente operacional complicado da banca portuguesa, com taxas de juro baixas e com elevados custos com provisões», explicou a agência de notação.

Isto, a par da «significativa deterioração dos seus indicadores relativos à qualidade dos ativos, com um aumento visível dos ativos que não dão lucro desde os finais de 2012, particularmente, no segmento empresarial, que se traduziram em consideráveis necessidades de imparidades», acrescentou.

A Moody's realçou que, nesta decisão, levou em linha de conta o recente reforço do capital do Montepio em 405 milhões de euros, entre setembro e meados de dezembro, que permitirá ao banco liderado por Tomás Correia fechar o ano com um rácio core tier 1 na ordem dos 12,4%, acima da fasquia de 10% imposta em termos regulatórios.

«Apesar deste aumento de capital e da subida das provisões, a Moody's está preocupada que a almofada global de capital do banco em relação à deterioração na qualidade dos ativos», justificou a analista que liderou esta análise.