O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, encerrou a sessão de hoje a cair 0,73% para 5.994,56 pontos, em linha com a maioria dos principais mercados europeus, penalizado pela queda de 3,78% da Portugal Telecom (PT).

Das 20 cotadas no índice de referência português, oito cresceram, dez recuaram e duas (Altri e Sonae Indústria) permaneceram inalteradas face à cotação da véspera.

No resto da Europa, as principais praças acionistas fecharam o dia em terreno negativo, com as perdas a variarem entre os 0,37% de Frankfurt e os 0,73% de Paris. A bolsa de Londres foi a exceção, ao avançar 0,18%.

Em Lisboa, a PT liderou as quedas um dia depois de ter sido anunciada a fusão da operadora com a brasileira Oi, tendo recuado 3,78% para 3,48 euros, «fruto de uma tomada de mais-valias depois da forte valorização de ontem [quarta-feira] e do comportamento geral dos mercados», segundo os analistas do BPI "online".

A agência de notação financeira Fitch considera positiva a fusão e diz que a operação vai retirar algumas das pressões negativas sobre o "rating" (nota) da empresa, que mantém em BBB- com perspetiva negativa

Ainda no setor das telecomunicações, a Sonaecom ganhou 2,04% para 2,15 euros e a ZON OPTIMUS avançou 0,13% para 4,68 euros.

Na banca, o Banif destacou-se ao subir 10% para 0,01 euros, seguindo-se o BPI, que cresceu 0,63 para 0,96 euros, e o BES, que ganhou 0,36% para 0,84 euros.

O BCP contrariou o sentimento das restantes cotadas do setor e recuou 1,04% para 0,10 euros.

Nota ainda para os pesos pesados Galp (que recuou 1,80% para 12,28 euros) e Jerónimo Martins (que cresceu 0,94% para 14,44 euros).