A bolsa de Lisboa caiu esta terça-feira 1,05% para 5.696,64 pontos, acompanhando o pessimismo que predominou em toda a Europa, onde os mercados se deixaram afetar pelas reduções das previsões para os resultados empresariais.

Em Lisboa, a maior queda da sessão coube à PT, que afundou 3,7% para 2,81 euros, com a Sonaecom, no mesmo setor, a perder também 1,86% para 1,74 euros, e a Zon a recuar 0,18% para 4,35 euros.

Outro setor que ajudou a pressionar a praça nacional foi a banca, onde o BPI se destacou com uma queda de 1,82% para 97 cêntimos e o BES desceu 0,28% para 72,5 cêntimos.

A Fitch deixou esta terça-feira um alerta sobre a qualidade dos ativos da banca nacional, que deverá continuar a deteriorar-se até 2014, com o aumento do malparado.

Além disso, o Goldman Sachs reviu as avaliações dos bancos nacionais, após a apresentação dos resultados semestrais. O banco manteve a avaliação das ações do BPI e do BCP em 1,10 euros e 10 cêntimos por ação, respetivamente, mas subiu a avaliação do BES de 85 para 90 cêntimos.

O BCP acabou o dia estável, nos 9,6 cêntimos, e o Banif nos 1,2 cêntimos, depois de ontem ter anunciado mais uma fase da sua capitalização. O banco reforçou o seu capital em mais 40,7 milhões de euros, através de um grupo de 16 investidores institucionais. No final da operação, o Estado ficou ainda com 74% do capital do Banif.

No vermelho, nota ainda para a Jerónimo Martins, que cedeu 1,72% para 14,30 euros, e para a EDP, que recuou 1,09% para 2,63 euros.