Portugal vai voltar ao mercado na quarta-feira da próxima semana, com dois leilões de Bilhetes do Tesouro, procurando encaixar um montante global de até 1.250 milhões de euros.

De acordo com o IGCP, a agência que gere a dívida pública portuguesa, na quarta-feira, dia 21 de maio, vão ser realizados dois leilões de Bilhetes do Tesouro, um com maturidade a três meses e outro com maturidade a 12 meses.

O montante indicativo global dos dois leilões, que fazem parte do calendário de financiamento do IGCP, oscila entre os 1.000 e os 1.250 milhões de euros.

Em abril, o ICGP fez dois leilões de Bilhetes do Tesouro, com maturidades de nove e de 12 meses, respetivamente, num montante total de 1.250 milhões de euros.

Na linha a 12 meses, emitida em abril, foram colocados 925 milhões de euros a uma taxa de 0,597%, inferior à de 0,602% paga no anterior leilão para esta maturidade.

O último leilão a três meses foi realizado em fevereiro, quando foram colocados no mercado 250 milhões de euros a uma taxa de 0,462%, inferior à do leilão de janeiro (0,495%).

No final de março, o presidente do instituto, Moreira Rato, disse no Parlamento que a 'almofada' financeira prevista para 2014 é de sete mil milhões de euros, mas que espera conseguir uma reserva maior, afirmando que «o que pode fazer sentido» para este ano é ter «uma 'almofada' à volta de 10 mil milhões de euros».