O Tesouro português recomprou em leilão 1.075 milhões de euros (ME) de três séries de Obrigações com maturidades até Junho de 2019, mostrando que tem uma posição de liquidez confortável e visando começar a suavizar as amortizações dos próximos anos.

De acordo com a Reuters, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) anunciou que recomprou 349 ME de Obrigações do Tesouro (OT) que vencem em Outubro de 2017, 150 ME de OT com maturidade em Junho de 2018 e 576 ME que expiram em Junho de 2019.

Após este leilão, as OT em outubro de 2017 ficam com um saldo vivo de 8.435 ME, as OT em junho de 2018 com um de 8.524 ME e as OT em junho de 2019 com um de 10.338,8 ME.

O IGCP prevê que o Tesouro português tenha uma posição de liquidez de 7.400 ME no final de 2016, da anterior estimativa de 9.950 ME, representado cerca de metade das necessidades de financiamento para 2017.

Ontem, o IGCP anunciou que fez este mês mais um reembolso antecipado de 2.000 ME ao Fundo Monetário Internacional (FMI), prevendo pagar outros 2.600 ME até ao fim do ano, se as condições de mercado o permitirem.

No mercado secundário de dívida, a taxa das OT a dois anos desce 4 pontos base (pb) para 0,55%, a da dívida a cinco anos desce 5 pb para 2,13%, enquanto a do mercado de referência a 10 anos cai 3 pb para 3,36%.