Os juros da dívida soberana de Portugal continuavam esta quarta-feira a descer em todos os prazos, renovando mínimos de sempre a dois e cinco anos e próximos dos níveis de fevereiro de 2006 nos dez anos.

Portugal regressa hoje ao mercado com leilão de dívida a 10 anos

Portugal regressa hoje ao mercado para um leilão de obrigações do tesouro a dez anos, esperando arrecadar entre 500 e 750 milhões de euros na primeira operação sem recurso a sindicato bancário desde 2011.

Os juros a dez anos estavam a 3,628%, um mínimo desde fevereiro de 2006, depois de terem terminado a 3,701% na terça-feira.

No prazo de cinco anos, os juros estavam a descer para 2,399%, um mínimo de sempre, depois de terem terminado a 2,439% na terça-feira.

A dois anos, os juros também estavam a descer para 1,065%, um mínimo de sempre e abaixo dos 1,096% de terça-feira.

Segundo o IGCP, a agência que gere a dívida pública portuguesa, os títulos que vão hoje a leilão vencem em fevereiro de 2014.

Depois da chegada da troika (Fundo Monetário Europeu, Comissão Europeia e Banco Central Europeu) a Portugal, o Tesouro realizou uma emissão a dez anos em maio de 2013, quando emitiu três mil milhões de euros a uma taxa de juro anual de 5,65%.

Já este ano, o IGCP fez um reforço dessa série de obrigações com maturidade até fevereiro de 2024 e fez uma nova colocação de três mil milhões de euros de dívida, a uma taxa de juro média de 5,112%.

No entanto, estas emissões foram sindicadas, ou seja, o Estado mandatou vários bancos para colocarem os títulos no mercado.

Assim, a emissão de hoje é a primeira sem recurso a sindicato bancário desde 2011, antes do memorando de entendimento acordado entre Portugal e a troika.

Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam hoje a descer em todos os prazos.

Dublin terminou oficialmente, a 15 de dezembro passado, o programa de ajustamento solicitado em 2010 à União Europeia e ao Fundo Monetário Internacional (FMI), no valor de 85 mil milhões de euros.

Os juros de Itália estavam a descer em todos os prazos, bem como os de Espanha.

Os juros da dívida da Grécia a 10 anos, o único prazo disponível daquele país, também estavam a descer.