Os juros da dívida soberana de Portugal estavam esta segunda-feira inalterados no prazo a dois anos, mas a subir a cinco e 10 anos face aos valores registados na sexta-feira.

Esta manhã, os juros a dois anos estavam a ser negociados a 3,631%, no mesmo valor que sexta-feira, mas acima da fasquia de 3,436% registados a 01 de julho, antes da crise política portuguesa.

Os juros da dívida a dois anos tinham atingido a 12 de julho passado o máximo desde novembro de 2012, quando subiram até aos 5,775%.

Os juros a cinco anos estavam a ser transacionados a 5,836%, acima dos 5,810% de sexta-feira, uma tendência acompanhada pelos juros a 10 anos, que eram negociados a 6,533%, acima dos 6,397% de 02 de agosto.

Durante a crise, os juros a cinco anos dispararam para 7,324% a 12 de julho, um máximo desde novembro de 2012.

Os juros da dívida soberana da Grécia a 10 anos estavam hoje a recuar, enquanto em Itália desciam em todos os prazos.

Em Espanha, os juros subiam a dois anos e desciam nos restantes prazos.