Os juros da dívida soberana de Portugal estavam a subir em todos os prazos, com os investidores atentos aos desenvolvimentos em torno do Banco Espírito Santo (BES).

Pelas 09:45, os juros a dois anos estavam subir para 0,988%, acima dos 0,946% de segunda-feira.

Na maturidade dos cinco anos, os juros estavam também a subir dos 2,505% para 2,547%.

No prazo de 10 anos, os juros estavam a crescer dos 3,808% para os 3,827%.

Nas últimas semanas, foram tornados públicos vários problemas no Grupo Espírito Santo (GES), a que se juntam alterações na gestão do BES, com a saída do líder histórico do banco, Ricardo Salgado. Situação à qual alguns analistas justificam a subida recente dos juros da dívida de Portugal.

Na passada sexta-feira, o Banco de Portugal garantiu que o BES detém um montante de capital «suficiente» para acomodar eventuais impactos negativos decorrentes da exposição ao GES, tranquilizando os clientes em relação aos seus depósitos.

Esta terça-feira é a data-limite para a Rioforte, empresa do Grupo Espírito Santo (GES), pagar 847 milhões de euros dos 900 milhões de euros de dívida à Portugal Telecom (PT).

Os jornais económicos avançam, no entanto, a possibilidade da operadora liderada por Henrique Granadeiro acordar com a Rioforte o adiamento do reembolso desta dívida.