Os juros da dívida soberana de Portugal estavam a renovar mínimos a dois anos em relação a terça-feira e a cair a cinco e dez anos.

Os juros a dois anos estavam cair, renovando mínimos de sempre, para 1,176%, negociando-se abaixo de 1,200% de terça-feira.

Na maturidade dos cinco anos, os juros desciam também para 2,609%, um mínimo desde meados de 2005, após terem encerrado na sessão do dia anterior nos 2,644%.

No prazo dos 10 anos, os juros da dívida soberana portuguesa estavam a cair no mercado secundário para os 3,895%, quando terminaram a sessão de terça-feira nos 3,917%.

Os juros da dívida soberana da Espanha estavam hoje a descer a dois, cinco e a subir a dez anos, enquanto na Irlanda caíam a dois e cinco anos e mantinham-se inalterados na maturidade dos 10 anos nos 2,971%.

Dublin terminou oficialmente, a 15 de dezembro passado, o programa de ajustamento solicitado em 2010 à União Europeia e ao Fundo Monetário Internacional (FMI), no valor de 85 mil milhões de euros.

No mercado de dívida, a Grécia depois de ter emitido com sucesso, na terça-feira, dívida a seis meses, negoceia na maturidade dos 10 anos obrigações do tesouro a um juro de 6,148%, inferior aos 6,159% a que terminou a sessão na véspera.