Os juros da dívida soberana de Portugal estavam esta terça-feira a descer em todos os prazos em relação a segunda-feira e situavam-se em torno dos níveis registados no final de 2009.

Os juros a dez anos estavam a 3,904%, contra 3,914% do encerramento de segunda-feira e depois de terem descido até 3,853% a 04 de abril, um mínimo desde o final de 2009.

No prazo de cinco anos, os juros estavam a descer para 2,623%, depois de terem terminado a 2,633% na segunda-feira e descido até 2,547% a 10 de abril, um mínimo desde finais de 2009.

A dois anos, os juros também estavam a descer para 1,188%, abaixo dos 1,211% de segunda-feira. A 10 de abril, os juros a dois anos desceram até 1,153%, um mínimo desde o final de 2009.

A agência de notação financeira Fitch anunciou na sexta-feira que atualizou a perspetiva de Portugal de «negativa» para «positiva», mantendo o rating de crédito do país em 'BB+', justificando a medida com base nos esforços orçamentais acordados por Lisboa e na recuperação geral da economia.

A Fitch justificou a medida como base nos esforços orçamentais acordados por Lisboa e na recuperação geral da economia.

Os juros da dívida soberana da Irlanda estavam hoje a descer em todos os prazos.

Dublin terminou oficialmente, a 15 de dezembro passado, o programa de ajustamento solicitado em 2010 à União Europeia e ao Fundo Monetário Internacional (FMI), no valor de 85 mil milhões de euros.

Os juros de Itália estavam a descer a dois anos e estabilizados a cinco e dez anos, enquanto os de Espanha estavam a descer em todos os prazos.

Os juros da dívida da Grécia a dez anos, os únicos disponíveis, estavam a subir.