Os juros da dívida soberana de Portugal estavam esta quarta-feira a subir em todos os prazos e a dez anos para níveis acima dos 6% pela primeira vez desde 6 de novembro.

Portugal coloca mil milhões de euros em dívida a juros mais baixos

Cerca das 08:50 de hoje, os juros a dez anos estavam a ser negociados a 6,024%, acima dos 5,971% do encerramento de terça-feira, após dez sessões consecutivas abaixo dos seis por cento.

Depois de terem subido até aos 7,508% a 12 de julho devido à crise política, os juros a dez anos fecharam, entre 06 e 25 de setembro, em níveis sempre acima dos sete por cento.

Os juros da dívida a dois anos estavam hoje a ser negociados a 3,447%, acima dos 3,441% do encerramento de terça-feira, dia em que terminaram abaixo dos 4% pela 18.ª sessão consecutiva desde 28 de agosto.

A 13 de setembro, os juros neste prazo fecharam a 5,987%, um máximo desde o início do ano.

No prazo de cinco anos, os juros estavam a negociar a 4,919%, acima dos 4,874% do encerramento de terça-feira e abaixo dos 5% pela décima sessão desde 19 de junho. O valor máximo dos juros a cinco anos foi atingido a 12 de julho, durante a crise política, quando subiram até aos 7,324 por cento.

A 6 de novembro, os juros a cinco e dez anos terminaram respetivamente abaixo dos 5% e 6% pela primeira vez desde junho deste ano.

Os juros a dois anos também estão a cair sustentadamente, já que estão há 18 sessões consecutivas a fechar abaixo dos 4%, ou seja em níveis registados em agosto.

Entretanto, os juros da dívida soberana da Irlanda e da Itália estavam hoje a subir em todos os prazos.

Os juros de Espanha estavam a descer a dois anos e a subir a cinco e dez anos.

Os juros da dívida da Grécia a dez anos, os únicos disponíveis, também estavam hoje a subir face a terça-feira, depois de terem atingido a 7 de novembro o valor mínimo desde abril de 2010.