Os juros da dívida soberana de Portugal estavam esta sexta-feira a descer a dois e dez anos e a subir a cinco anos, mas a dez anos mantinham-se acima dos 7,1 por cento.

Os juros a dez anos estavam a ser negociados a 7,160%, depois de terem fechado a 7,173% na quinta-feira, pelo décimo dia consecutivo acima da barreira dos sete por cento.

Depois de terem subido até aos 7,508% a 12 de julho, em resultado da crise política, os juros a dez anos tinham-se mantido entre 19 de julho e 5 de setembro em níveis sempre abaixo dos sete por cento.

Os juros da dívida a dois anos estavam hoje a ser negociados a 5,561%, a descer face a quinta-feira, dia em que terminaram a 5,597 por cento. A 13 de setembro, os juros neste prazo fecharam a 5,987%, um máximo desde o início do ano.

No prazo de cinco anos, os juros estavam a negociar a 6,601%, abaixo dos 6,6% do encerramento de quinta-feira.

Os juros da dívida soberana de Itália estavam a subir em todos os prazos, a dois anos acima dos de Espanha, mas a cinco e dez anos em níveis abaixo dos espanhóis.

Depois de a 10 de setembro os juros a dez anos de Espanha terem descido para níveis abaixo dos valores dos de Itália pela primeira vez em 18 meses, os juros dos dois países têm-se mantido desde então muito próximos.

Em relação aos juros da dívida da Grécia a dez anos, estes estavam a descer.