Os ativos geridos pela ESAF, ex-gestora de ativos do BES transferida para o Novo Banco, cairam 748,7 milhões de euros em julho, de acordo com dados da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Património.

Segundo a associação, este resgate aconteceu devido «à excecionalidade da conjuntura vivida» e também devido à instabilidade que se viveu no Grupo Banco Espírito Santo, que « teve consequências na atividade de muitas das empresas do Grupo, nomeadamente a sua Gestora de Ativos».

Os fundos geridos pela ESAF tiveram saídas líquidas de 748 milhões de euros em julho apesar de não poderem «ter qualquer exposição a ativos emitidos por entidades do universo GES como, por exemplo, fundos de ações americanas ou de mercados emergentes».

«Muitos investidores ainda desconhecem as caraterísticas fundamentais dos fundos de investimento», conclui a APFIPP.